Estava observando cada gesto, movimento seu e já estava me viciando nisso, não notara que havia ficado tanto tempo sem desviar os olhos de ti. Havia um laço que nos unia, talvez não pudesse ser visto nem tocado, mas podíamos senti-lo de uma forma tão próxima que nos ligava quando um precisava do outro. Na sua presença sei que estou protegida, sei que me entende e me ajuda nas minhas venetas; em meus momentos de aflição não preciso te chamar é como se estivesse a alerta 24 horas por mim!


Encaro pela quarta vez desde que chegamos a sua blusa de frio do Batman, não sei se te acho bonito demais com ela ou se te faz parecer mais nerde do que realmente é. Tenho vontade de te beijar ali mesmo, estamos tão perto um do outro que se torna torturante não te tocar. Mordo meu lábio inferior na tentativa de afastar fantasias tentadoras com você, e tento esconder minha face quando noto seus olhos me avaliando, estava mais tempo do que o necessário para saber o que eu estava pensando. Coll tira minhas mãos que há segundos pousava em minha face, e sinto minha pele queimar com seus olhos travessos demostrando com um sorriso de canto um tanto discreto que tinha consciência de minhas fantasias. Já não parecia mais o nerde relaxado de sempre, transparecia divertimento em sua feição e seus olhos me penetravam com tamanho desejo inexplicável.
- Faria qualquer coisa para saber o que se passa em sua cabecinha Anjo.
- Por incrível que possa parecer, creio que já saiba de minhas fantasias.
- Sonhar comigo é uma coisa, mas sonhar acordada é algo bem diferente, desperta um interesse em mim.
- Não estava sonhando acordada com você – Tento manter minha voz no mesmo tom querendo que não transpareça que estou mentindo.
- Mentirosa.
- E o que te faz pensar que estava a fazer o que dizeis de mim? – Firmei meus olhos nos seus esperando que me surpreendesse.
- Anjo – Falou calmamente num tom baixo, podia sentir o desejo de sua voz causando efeitos em meu corpo. – Conheço-te mais do que imagina, e você não disfarçou muito ao morder seus lábios – Abaixou o tom de sua voz para que só eu na cafeteria escutasse – É tentadoramente horrível não poder fazer o que quero com você aqui...
Senti um calafrio percorrer meu corpo, desejo e medo ao mesmo tempo.

***
O que acharam gente? Eu estava tentando escrever um conto de ficção cientifica, mas vi que não sou muito boa haha, então deixei só essa parte...
Beijos...Mel  ^-^

Deixe um comentário